Luiz Carlos Trabuco Cappi comenta sobre a eleição de presidente do Bradesco

“O próximo presidente virá do corpo egresso de diretores,” afirmou o atual presidente-executivo do Bradesco Luiz Carlos Trabuco Cappi, que deixará o cargo em março. Trabuco seguirá como presidente do conselho administrativo, posto que ocupa desde a renúncia de Lázaro Brandão em março. Como o banco não permite o acúmulo de duas funções, terá de deixar a presidência-executiva.

De acordo com Luiz Carlos Trabuco Cappi a instituição, além de grande, é complexa e muito segmentada e são essas as características que vão determinar a escolha de seu sucessor. O banqueiro ressaltou que é uma tradição salutar que o comando do banco seja passado para um profissional da casa, refletindo a boa governança corporativa.

O executivo também enfatizou que o nome pode ser anunciado antes de março, uma vez que o banco apresenta uma grande responsabilidade com o país, daí a necessidade de uma liderança interna contínua. Segundo Trabuco, o Brasil passa por um processo de mobilidade social, o qual mais pessoas prosperam e isso representa mais oportunidades para a organização.

Luiz Carlos Trabuco Cappi começou sua carreira no banco começou em 1969 e passou por diferentes cargos até a presidência, conquistada em 2009. Foi escriturário, esteve no comando da comunicação, da área de seguros, previdência privada e foi vice-presidente da instituição.

Nascido em Marília (SP), o banqueiro formou-se na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de São Paulo. Seu maior feito no comando do banco foi a aquisição da filial brasileira do HSBC em 2015. A transação foi a maior do ano no país e girou em torno dos US$ 5,2 bilhões.

Porque o banco resolveu mudar?

A renúncia de Lázaro Brandão foi quem desencadeou a mudança. O executivo afirmou que foi uma decisão dele renunciar à presidência do conselho de administração e dessa forma promover a renovação entre as lideranças da organização. Para ele, a sucessão já estava sendo maturada há algum tempo.

Há 27 anos no cargo, Brandão chegou ao banco em 1942, ainda quando ele se chamava Casa Bancária Almeida & Cia. No ano seguinte a instituição passou a se chamar Bradesco. Assim como os demais executivos, brandão galgou um longo caminho e chegou a presidência executiva entre os anos de 1981 e 1989, sucedendo o fundador Amador Aguiar. São mais de 75 anos dedicados ao banco e agora Lázaro Brandão, 91, seguirá como presidente administrativo das organizações comandadas pelo banco.

Quem irá suceder a Luiz Carlos Trabuco Cappi?

Na primeira reunião do conselho administrativo, após a assembleia com acionistas irá definir quem comandará o segundo maior banco privado do Brasil. A expectativa é que o sucessor de Luiz Carlos Trabuco Cappi nome seja escolhido entre os vice-presidentes do banco.

Entre os mais cotados estão Mauricio Minas, atualmente está à frente da área de tecnologia. Ele foi responsável pela migração dos dados na compra do HSBC pelo Bradesco em 2015 e pelo desenvolvimento do banco digital da instituição, o Next; Marcelo Noronha, da área de cartões e banco de investimentos; Alexandre Glüher, da área de Relações com Investidores.

Octavio de Lazari, no comando da área de Seguros; Josué Pancini, à frente da rede de agências do banco e André Cano dos Recursos Humanos.